A maioria dos motoristas está redondamente enganada em relação àquela luz de óleo, quando acende no painel.
Tem até gente que confunde, acha que aquilo é a lâmpada do Aladdin e que é pra fazer os três desejos quando ela acende…

Mas os motoristas têm quase certeza que a luz do óleo acende (às vezes ela pisca só, pisca, não acende direto): “Ah, problema do óleo, nível do óleo”. Vai no posto, para, puxa a vareta, olha lá o nível, tá faltando, completa e a luz apaga. Perfeito! Só que isso pode acontecer uma, duas, três, 10 vezes: a luzinha acende porque o nível está baixo, mas nem sempre que a luz acende é nível baixo do óleo.

A luzinha não está ali para indicar nível baixo, ela está ali para indicar falta de pressão, de lubrificação do motor. Que é isso? Simplesmente quando falta pressão de óleo, quando a lubrificação fica deficiente, o que acontece que seu motor está correndo grave risco de fundir, e o dono do carro corre grave risco de levar um desfalque enorme no saldo bancário.

Então, acendeu a luz, foi lá, puxou a vareta, conferiu: “Ué, está no nível, mas como assim?” É porque o problema é outro, a bomba que joga o óleo no motor pode estar com defeito. Torça para ser a cebolinha, aquela que faz acender a luz: ela pode estar com defeito, fez a luz acender, mas não é nada; o defeito está nela mesmo.

Ou o mais grave: há uma folga exagerada entre partes móveis do motor, e o óleo que passa ali não encontrou pressão, porque a folga aumentou. E essa falta de pressão é que fez acender a luzinha do óleo. Mas se a folga aumentou, daí a pouco o seu motor vai estar batendo, fazendo barulho de uma peça metálica contra a outra. É o princípio do processo que vai levar o motor a fundir.

Então, atenção com a luz do óleo, porque nem sempre a hora que acende a luz, é sinal de nível baixo do óleo do cárter.